sábado, 18 de setembro de 2010

Acer Aspire One 532h e Ubuntu Netbook Remix

Recentemente adquiri um netbook Acer Aspire One 532h-2730 (Garnet Red), já com 2 GB de memória RAM acrescentados (1 GB é o padrão), no qual instalei um disco-rígido sólido (SSD) da Kingston, de 64 GB. Precisei de um netbook pois o meu notebook acrescentava peso demais nas minhas costas, na minha mochila; e a opção por um SSD, ao meu ver, foi bastante lógica, uma vez que este é um computador que vai ir comigo para todos os lugares e que pode necessitar ser utilizado nas mais diversas situações.
Depois de muito pesquisar optei pelo Ubuntu Netbook Remix (UNR) 10.04 como sistema operacional. Poderia ter utilizado o Windows XP, que é um sistema bastante conhecido e agradável de usar, mas que carece de algumas otimizações que são interessantes em um formato como o do netbook, ou poderia ter optado pelo Windows 7 que, apesar de ser otimizado para usar SSD's, seria problemático pelo imenso número de arquivos temporários que gera. Também poderia ter optado por qualquer outra distro do Linux, mas gosto do Ubuntu simplesmente por ter sido a distro que mais utilizei até hoje.
Antes de instalar o sistema gastei várias e várias horas lendo sobre como formatar e particionar corretamente o SSD para evitar o desgaste por excesso de gravação e para tirar o máximo de proveito da alta taxa de leitura e gravação que ele é capaz de ter. Foi um tempo gasto inutilmente, pois o UNR, já em sua versão 10.04, automaticamente formatou o SSD de modo que, pelo menos neste que utilizo, que é o Kingston SSDNow V Series SNV425-S2BN/64GB 2.5" SATA II, o desempenho esperado foi atingido "out of the box".

Formatação parão do UNR 10.04 para o SSD.

Performance do SSD pelo hdparm (3x)

Um aspecto negativo da formatação padrão é o tamanho dedicado ao swap, muito grande em relação ao SSD, especialmente considerando que o swap praticamente nunca é utilizado.
A performance do SSD ficou dentro do esperado para sua classe econômica (MLC). Quanto ao peso, ter trocado o HDD pelo SSD trouxe uma diferença de aproximadamente 10 gramas, o que pode parecer pouco mas já ajuda um pouco. Já quanto à economia de energia, não posso dizer o quanto foi melhora, se é que houve alguma, pois nunca cheguei a utilizar de fato o netbook com o HDD. A bateria de 3 células, com o SSD e com a economia de energia no máximo pelo sistema, rende cerca de 3 horas de uso para navegação e edição de arquivos no OpenOffice.

Duração da bateria pelo powertop.

Status da bateria do AAO 532h.

Com as configurações padrão o UNR é bastante rápido, mas fiz diversas configurações que trouxeram ganho na performance, economia de energia e diminuição do desgaste do SSD. Pensei em fazer um grande "how to" aqui, compilando as configurações e otimizações que funcionaram melhor para o meu caso, mas não disponho de tanto tempo atualmente. Então vou apenas listar elas brevemente:
  1. Escolhi o formato ext4 de partição para o sistema, então desativei o journaling para diminuir o desgaste do SSD e aumentar a performance e economia de energia. Com o mesmo objetivo também desativei alguns outros recursos do ext4 no fstab.
  2. Fiz com que virtualmente todos os arquivos temporários fossem criados em tmpfs, na memória RAM. Com isso diminui o desgaste no SSD e aumentei consideravelmente a performance na maioria dos programas. Só é preciso ter cuidado pois é possível - e relativamente fácil para alguns usuários - exceder o espaço disponível na memória RAM, por exemplo, no Firefox (navegando no ScienceDirect consegui colocar mais 340 MB na memória RAM como arquivo temporário).
  3. Otimizei a inicialização do UNR desativando serviços desnecessários. Por exemplo, desativei tudo que é relativo ao bluetooth, uma vez que muito raramente faço uso desta tecnologia. Com isso consegui aumentar a velocidade do boot e diminuir o gasto de energia.
  4. Abri mão da interface própria para netbooks oferecida pelo UNR em prol da interface padrão, a qual estou mais acostumado. Acho difícil trabalhar em uma ambiente gráfico onde há sempre algo na área de trabalho, pois as vezes gosto de olhar para ela vazia. Contudo, se eu um dia vier a instalar um layer touchscreen na tela do meu netbook, irei utilizar o shell Unity.
  5. Removi alguns programas desnecessários, instalei os programas que utilizo e os programas necessários para multimídia (Flash, DivX, mp3, etc), e otimizei programas como o OpenOffice, Mozilla, Gimp, Audacity e Inkscape para tirarem proveito do SSD e do tmpfs. Instalei também o Wine, embora até agora não tenha realmente precisado utilizar nenhum aplicativo do Windows.
  6. Instalei alguns programas que atualmente considero indispensáveis, como o Zotero no Firefox para substituir o EndNote, o GNU PSPP para substituir o SPSS do Windows, o Mnemosyne para me dar uma mão nas provas e o Freemind. Também instalei o 3D Slicer, embora use ele mais pela minha curiosidade. O 3D Slicer depende fortemente da aceleração 3D por hardware, de modo que no netbook posso utilizar apenas bases que não sejam muito pesadas e preciso escolher com parcimônia os modelos a serem exibidos. Obs.: Tentei instalar a versão Linux do InVesalius mas infelizmente não fui capaz de fazê-lo rodar.
  7. Instalei e configurei o Compiz, pois realmente tiro proveito dos atalhos dele para ter uma maior produtividade... Ok, mentira, eu gosto mesmo são dos efeitos especiais. No hardware do AAO 532h o Compiz é executado sem problema algum após os drivers da Intel terem sido corretamente instalados.
Obviamente precisei fazer muito mais configurações do que as que estão listadas acima, e foi necessário um bom tempo lendo fóruns de discussão, a obtenção de repositórios especiais e uma boa dose de paciência até configurar tudo do jeito que está agora. Algumas opções que ampliam a economia de energia podem ser usadas por meio de scripts ou pelo terminal, mas estou satisfeito com o padrão atual.

Aspectos positivos do AAO 532h
a) Tem um design muito bonito, é pequeno e bastante leve;
b) A tela tem ótima qualidade de imagem;
c) O hardware é bastante poderoso, surpreendente para um netbook;
d) É bastante compatível com o Linux;
e) O teclado é ótimo, muito confortável e fácil de se acostumar;
f) É bastante resistente;
g) É bastante silencioso.

Aspectos negativos do AAO 532h
a) Aquece muito quando sob forte demanda, a exaustão do processador deveria ter sido melhor planejada, muito do ar quente sai na parte inferior do netbook;
b) O som dele não é nada espetacular, diria que é o mínimo aceitável, contudo o ideal em um netbook é utilizar fones de ouvido para não incomodar as pessoas a volta;
c) Deveria vir com um SSD como o da Kingston de fábrica;
d) Deveria ser possível colocar mais memória RAM;
e) O adaptador de energia dele é um horror, irei substituí-lo por um compatível mas com design mais tradicional;
f) A pintura da parte superior e o acabamento da parte interior, embora sejam muito bonitos, são bastante frágeis e precisam ser limpos com muita delicadeza;
g) Para quem usa Windows Vista ou Windows 7, o leitor de cartões dele não é compatível com o ReadyBoost, também vale para quem quisesse utilizar algo similar no Linux. Contudo isso é irrelevante para quem usa SSD.

Aspectos ambivalentes no AAO 532h
A bateria é bastante leve e, por só ter 3 células, dura pouco fora da tomada. Além disso, a vida útil desta bateria não parece ser das melhores. Sua capacidade de fábrica era de 2200 mAh, e agora, depois de um mês e meio de uso, sua capacidade está em 2043 mAh. Outra coisa é o acabamento, que apesar de ser bonito atrai impressões digitais que acabam com a beleza dele. No acabamento vermelho e especialmente no branco as impressões aparecem menos que no azul, mas ainda assim são um problema.

Aspectos positivos do SSD Kingston
a) Preço acessível;
b) Leve, compacto, silencioso e resistente a vibrações;
c) Baixo consumo de energia;
d) RÁPIDO!;
e) Fácil de instalar;
f) Ótima assistência técnica (respondem os e-mails em menos de 24 horas);
g) Não esquenta.

Aspectos negativos do SSD Kingston
Nenhum, mas seria interessante se ele fosse ainda mais leve. Quanto ao uso dele com o Linux, acredito que o Linux seja o melhor sistema operacional para esta tecnologia, porém para configurar o LUKS são necessários todos aqueles cálculos complicados para acertar as partições ou o sistema não aproveitará todo o desempenho do SSD. No meu caso, como não tenho nenhum material ultrasecreto no disco-rígido, resolvi não utilizar o LUKS desta vez.

Aspectos positivos do Ubuntu Netbook Remix 10.04
a) Boot muito rápido;
b) Fácil instalação;
c) Estável, leve, não consome muitos recursos com o sistema, deixando mais recursos para os aplicativos;
d) Bonito (finalmente se livraram aqueles tons marrons);
e) Para o usuário avançado também está mais fácil de fazer otimizações, tão fácil que chega a dar um saudosismo do tempo em que se levava horas procurando uma solução;
f) Há a opção para quem gosta da interface clássica;
g) Dá pra tirar muito proveito das vantagens dos SSD's.

Aspectos negativos do Ubuntu Netbook Remix 10.04
a) Ainda vem com o Evolution, completamente inútil para quem utiliza webmail;
b) Ao invés do Pidgin, que funcionava muito bem, vem com o Empathy para mensagens instantâneas, e o Empathy não me pareceu nem um pouco legal, entre ambos ainda prefiro o aMSN, que embora seja meio tosco tem mais opções -- se bem que faz tempo que não uso mensagens instantâneas pois elas atrapalham minha concentração;
c) Ainda não é tão fácil quando deveria ou poderia ser instalar drivers específicos para alguns hardwares e para reprodução de multimídia.

Considerações finais
Se você precisa de um computar ultraportátil de alto desempenho e barato, o Acer Aspire One 532h é uma ótima escolha. Em conjunto com um SSD e o UNR, o AAO 532h pode ser a máquina ideal para estudantes e profissionais que necessitam conectar, produzir e se comunicar utilizando a Internet.

Um comentário:

Luciana disse...

Eu concordo com tudo (obviamente):) Só tenho uma observação básica para acrescentar: horas e horas / cáclulos e cálculos de instalação do SSD e configurações do linux! Preferia o windows... sobrariam mais horas contigo! ;)